• Please Wait . . .

Posted by : wagner elias 22 setembro 2011


O Brasil está repleto de grandes artistas que levaram e estão levando o quadrinho nacional a um status mais notável do que costumava ter. Vemos surgir cada vez mais quadrinhistas talentosos que empenham seus esforços em prol desta arte tão discriminada em nossos dias. Sei que minhas palavras podem estar soando um tanto ufanistas, mas o que vejo é que temos potencial. Não posso também deixar de reconhecer que tem muita porcaria por aí. Já me decepcionei muito com o quadrinho nacional, principalmente quando fomos invadidos pela onda do mangá. Não que eu seja contra essa estética, na verdade eu a admiro e até a utilizo. Mas o grande problema está em como o estilo vem sendo utilizado pela maioria. Mas não entrarei em detalhes sobre isso agora; por enquanto pretendo falar a respeito do que tem de bom, e tem muita coisa pra falar nesse respeito, principalmente nos últimos anos. Já vi alguns blogs por aí que se esforçam em condenar o quadrinho nacional e, muitas vezes, estão até com razão. Podemos tirar boas lições a partir da análise de trabalhos ruins. Mas, nesse post, me disponho a elogiar o que há de bom, e pra abrir esse quadro, escolhi um dos artistas que mais tem me inspirado durante minha curta carreira artística.

Zilson Santos, ou Zeck, como é conhecido no meio artístico, é um dos desenhistas/roteiristas maranhenses que mais tem feito pela arte sequencial em nosso país. Não só quadrinhista, mas um um excelente pintor, Zeck se formou em artes plásticas pela Universidade Federal do Maranhão, onde aprendeu técnicas valiosíssimas, que aplica com êxito em seus quadrinhos. Dono de um traço característico, influenciado por artistas como Jack Kirby e John Romita Jr, Zack se destaca por uma narrativa leve, satírica e inteligente, que faz você rir da sociedade e até de si mesmo.  Começou sua carreira nos quadrinhos com a criação do grupo Fator RHQ, no qual participou juntamente com outros 13 artistas. Nos encontros das sextas feiras o grupo discutiu, avaliou e criou o fanzine “Área de Mancha”, onde publicaram histórias variadas durante os anos de 1996 até 2001. O grupo só voltou a produzir novamente em março de 2007, quando lançou a bem sucedida Comicstation, que foi publicada até a edição 8 em julho de 2009. Apesar de ter durado apenas dois anos, a revista manteve a regularidade e cumpriu o seu papel.
Com o fim da Comicstation, Zack não se deu por vencido. Continuou publicando seu personagem mais conhecido, o Espetacular Homem Caveira. Criado em 1995, o personagem foi destaque na revista onde foi publicado.


As primeiras histórias estreladas pelo personagem, apesar de curtas e aparentemente despretensiosas, traziam um conteúdo bem humorado e engajado. Numa de suas primeiras aventuras o herói enfrenta o infame Urubu, um trombadinha típico que praticava pequenos furtos e costumava criar problemas nas redondezas da escola onde estuda Gilson, o alter ego do Homem Caveira. Na história identificamos aspectos regionais bem definidos e sem exageros, sendo uma leitura agradável para qualquer público, seja maranhense ou de qualquer outra região. No decorrer das edições, o personagem evolui bastante, chegando a enfrentar supervilões intergalácticos e até formando um super-grupo de heróis brasileiros.
Há quem acuse o personagem de plágio. Por conta não só de personagens semelhantes a heróis estadunidenses (como é o caso do Homem Poodle, que se assemelha em quase tudo ao anti-herói Lobo, da DC), mas também de termos e expressões usadas durante as histórias que remetem a grandes sucessos norte americanos, muitos chegam a dizer que Zeck não foi nada original na criação de seu personagem. Eu discordo.

Há uma diferença entre plágio e sátira. O Homem Caveira costuma fazer homenagens a grandes personagens que fizeram sucesso nos quadrinhos, como é o caso do próprio título, onde faz referência ao Espetacular Homem Aranha (até o formato da letra tem similaridade com o original). Mas não podemos acusar o artista de plágio. O Homem Caveira não é um personagem sério. Suas histórias chegam a ser bobas às vezes, mas o autor sabe disso e faz de propósito, com o objetivo de causar o riso. Ele não erra, ele acerta na mosca. Quem não ri ao relembrar os Power Rangers quando vê o Gilson gritar “não é hora de morfar” ou quando o Homem Caveira vai até a base do Grande Mordon para resolver uma questão não tão importante assim? Zeck é um artista cômico que faz seu trabalho bem feito. Acusá-lo de plágio é como dizer que “Todo Mundo em Pânico” é cópia descarada do “Pânico”, quando na verdade é apenas uma sátira do sucesso cinematográfico e de outros que serviram de referência para a paródia.

Atualmente Zeck publica o Homem Caveira em edições independentes, às vezes dividindo espaço com um ou outro artista. Na edição atual, o Homem Caveira enfrenta uma banda teen revoltada, levando o público ao delírio. Em 2010 o Herói chegou a lutar ao lado de ninguém menos que o rei do pop, Michael Jackson! Para contar a história, Zeck convidou uma gama de artistas que iluistraram muito bem as 45 páginas de ação e emoção estreladas pelos inusitados heróis. Você pode ler essa e outras histórias no blog da Comicstation que continua ativo e regularmente atualizado, apesar de a revista já não ser mais publicada.
Mesmo diante de todos os transtornos e dificuldades que sofrem os artistas de quadrinhos independentes no Brasil, Zeck tem demonstrado que é possível termos um mercado bem sucedido, e vem mostrando isso através de um excelente trabalho que faz dele não só um excelente quadrinhista, mas um grande artista.

As melhores histórias do homem caveira:

 - O Orgulho e O Poder; - ...Herói Nunca Mais;- O Acerto de Contas
O incrível embate entre o Homem Caveira e o vilão espacial Homem Poodle.
Um vilão misterioso contrata o encrenqueiro e beberrão Homem Poodle para dar cabo do herói alve-rubro. depois de uma batalha fenomenal em que o motoqueiro dá uma surra bonita no herói, a cidade inteira vira um caos que só é cntido quando Gilson Santos retorna com seu otimismo revigorado. transformando-se em Homem Caveira novamente, ele volta a ter seu prestígio ao dar cabo da ameaça canina. vala apena conferir esta aventura contada durante as edições 6 a 8 da Comicstation.







- A Ameaça do Palhaço do Crime
Nessa edição especial do Homem Caveira, Zilson faz uma homenagem ao rei do pop, cuja morte abalou multidões de fãs em todo o mundo. na história, Michael Jackson atua secretamente como super herói e acaba ajudando o Homem Caveira cntra uma ameaça aterradora: o Palhaço do Crime, que pretende fazer de todas as crianças do mundo, zumbis sob o seu comando, espalhando o caos na sociedade.










- Você Não Pode Comigo
A segunda edição solo do Homem Caveira trás uma das personagens mais cativantes, Estrela Ponto Com, é uma anti-heroina que desafia o herói para um combate a fim de provar que é mais durona do que qualquer homem. No fim ela usa seu poder feminino e detona o Caveirão em todos os sentidos.
Pra mim é a melhor história.

{ 2 comentários... read them below or Comment }

  1. Po, Wagner, valeu pelo post! Cara, quase choro de emoção por tudo o que vc escreveu e o reconhecimento do trabalho é o que mantém o artista com ânimo pra publicar mais nesse nosso estado e país que tanto renega sua produção artística independente. E dispensar boa parte do seu tempo pra pesquisar e escrever esse artigo é uma grande honra! Valeu, grande amigo! Ah, depois a gente acerta a propina! kkkkkkk! Abração!

    ResponderExcluir
  2. valeu cara. é isso aí, a gente se ajuda. a honra é toda minha.

    ResponderExcluir

Bem Vindo

Divisão 5

Divisão 5
Compre agora

Leia

Parceiros

O que rola no Catarse

Quantas pessoas perderam tempo acessando essa página

Gostei

Seguidores

Muita gente viu isso aqui:

Tecnologia do Blogger.

- Copyright © Gibitales -Robotic Notes- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -